Watchmen: a hq e o que esperar da série da HBO

Conheça a história por trás da série que estreia na HBO hoje

Todos os dias chegam histórias de quadrinhos nas bancas, mas poucas são tão imortais quanto Watchmen. Publicada inicialmente como uma maxissérie em 12 edições, a história escrita por Alan Moore e ilustrada por Dave Gibbons com cores de John Higgins estreou lá fora em 1986 e por aqui dois anos depois em 1998. Inicialmente Moore propôs o uso dos personagens da extinta Charlton Comics, mas o editor da época Dick Giordano sugeriu que ele criasse personagens novos, caso contrário não seria possível seu uso posterior. E aí surgiu uma das maiores tretas entre Alan Moore e a DC Comics, editora da história. No contrato ficou determinado que Alan Moore e Dave Gibbons poderiam utilizar os personagens criados por ele quando a DC parasse de publicar Watchmen, o que obviamente não aconteceu. Além da hq se tornar um clássico o que levou a inúmeras e incessantes republicações, a DC ainda criou o spin off Antes de Watchmen, que conta histórias antes da série principal e mais recentemente O Relógio do Juízo Final que ainda não terminou lá fora e introduz alguns personagens no universo regular da editora. Por aqui todas publicações de Watchmen vem sendo publicadas pela Panini desde que assumiu os quadrinhos da Editora Abril que publicou originalmente a história. Além da série, que estreia hoje, 20 de outubro na HBO, a hq já virou um filme nas mãos de Zack Snyder (Batman vs Superman) em 2009, que traz uma adaptação com pequenas, mas questionáveis mudanças em relação a hq. 

Imagem de divulgação de Doomsday Clock #1 (Fonte: DC Comics)

Bom, mas vamos a história da hq em si. Watchmen traz um mundo onde os super heróis surgiram entre as décadas de 40 à 60 e mudaram a história dos Estados Unidos onde eles venceram a Guerra do Vietnã.  Isso cria uma nova dinâmica mundial, grande parte a um dos personagens principais o Dr. Manhattan que é basicamente é uma bomba nuclear viva. Em 1985 o país está prestes a entrar em uma Terceira Guerra Mundial lançando suas forças contra a União Soviética. E quando um dos vigilantes (watchmen em inglês) é assassinado, os que estavam reclusos pois foram considerados ilegais, ou os que se tornaram públicos começam a se mover criando uma trama cheia de reviravoltas de uma originalidade ímpar.  Alan Moore desconstruiu o genêro de super heróis trazendo personagens complexados, falhos e toda uma discussão sobre o impacto que seres super poderosos teriam em nosso mundo. Outro ponto interessante é que apesar da utilização do termo super-herói, a maioria dos personagens da história, exceto o Dr. Manhatann não tem superpoderes. Daqui para frente seguem alguns spoilers da história e se você não leu a hq ou viu o filme e quer se manter livre deles, não siga adiante.

Os Minutemen no filme de Zack Snyder (Fonte: Warner Bros Pictures)

Falando sobre os personagens principais da história, o Comediante, ou Edward Blake, que é o vigilante assassinando no começo da história é um dos personagens mais falhos na história. Beberrão, arrogante e violento, Edward foi afetado pelo seu tempo na guerra. Quando se forma o grupo Minutemen pelos primeiros vigilantes que surgem, ele estupra a heróina Espectral, ou Sally Jupiter, durante uma festa e é expulso da equipe. A Espectral tem uma filha, Laurel Jupiter que segue a carreira da mãe no combate ao crime. O legado também se faz presente na história como nas hqs de super heróis. Assim o Coruja original, Hollis Mason, também membro dos Minutemen inspira Dan Dreiberg, a seguir com seu manto. O Coruja é um dos heróis que se propõe a investigar a morte do Comediante, já que eles foram colegas na equipe Combatentes do Crime, uma nova versão dos Minutemen reunida por Adrian Veidt, o Ozymandias. Ozymandias é considerado “o homem mais inteligente deste mundo” e trata-se de um milionário que se propõe a salva a humanidade. No decorrer da história porém, revela-se que Adrian é o assassino do comediante e que tem um plano para salvar a humanidade de si mesma e cria um monstro alienígena que mata milhões de pessoas, mas encerra a Guerra Fria ao inventar um inimigo em comum para EUA e URSS. O plano de Veidt seria perfeito, não fosse o vigilante conhecido como Roscharch ou Walter Kovacs um homem com distúrbios psicóticos que é o personagem mais soturno da história. Ele se torna heróis após testemunhar uma garota sendo esfaqueada na frente de muitas pessoas que não fazem nada. Utilizando uma máscara com tecido especial, que tem um borrão de tinta que se altera com seu humor, ele passa a ser um vigilante. O nome e a máscara são baseados no psicólogo suíço Hermann Rorschach que desenvolveu a técnica de análise baseada em um padrão de manchas. O Dr. Manhattan, que leva esse nome em homenagem ao programa de bombas atômicas dos EUA no qual trabalhava é outro ponto central da trama. Jonathan Osterman era um físico nuclear que trabalha no Projeto Manhattan e durante um dos testes ele acaba ficando preso em uma câmara onde é desintegrado instantaneamente. Mas o físico não morreria e reconstituiria seu corpo até se tornar o primeiro super-herói do mundo de Watchmen. Além de alterar o curso da história dos EUA, com o tempo ele se torna distante da humanidade pelo seu status quo divino. No entanto, ainda restava uma última esperança quando ele se apaixona por Laurel, a nova Espectral, que em dado momento da história o rejeita. O Dr. acaba descobrindo o plano de Veidt tardiamente após a explosão do monstro alienígena. Ele, Laurel, o Coruja e Roscharch chegam a base de Veidt na Antártica e decidem manter isso em segredo pois traria o bem maior. No entanto Roscharch se recusa e diz que terão de mata-lo para impedi-lo, o que Manhattan o faz. Após isso, Dan e Laurel fogem para viver um romance que se iniciou antes dela se envolver com o Dr. O Dr. se exila em outro universo e Veidt saíria livre. Saíria, porque a história foi continuada em O Relógio do Juízo Final. O outro universo que o Manhattan se exila é o universo da DC e Veidt, que descobre ter um câncer na cabeça tenta consertar suas ações, que estão levando a uma nova guerra.  E é isso. Essa é apenas uma análise superficial de alguns pontos da obra. Watchmen tem muitas camadas dentro da própria história, como a “história dentro da história”, Contos do Cargueiro Negro, lida em uma hq por um garoto durante o decorrer da história principal. Ela traz um paralelo com o que está acontecendo no mundo real. E fora a desconstrução do genêro de super-heróis, há muitas questões éticas, filosóficas e políticas que só realmente lendo para ter uma ideia melhor, pois precisaria de vários posts para talvez fecharmos todas elas. Uma hq nada convencional, Watchmen continua levantando discussões até os dias de hoje, sendo estudada inclusive para fins acadêmicos.

E o que esperar da série? Bom, apesar de ser uma história original, independente da hq, como declarou o criador Damon Lindelof, alguns dos personagens, como um exército de fanáticos vestidos como Roscharch, a nave do Coruja, e aparentemente o Dr. Manhattan em pessoa estarão presentes na série. Também está presente a dualidade do nome que faz menção ao relógio (watch, em inglês) que é usado como contador para o fim de tudo na hq, além de estar ligado à origem do Dr. Manhattan, cujo pai era um relojeiro, e que após ganhar os poderes enxerga o tempo de outra maneira. Na primeira prévia da série um exército de fanáticos fica mimetizando o barulho tic tac do relógio com suas bocas. Mas pouco se sabe sobre a história, além de que ela é ambientada no mesmo universo. Agora é esperar ansiosamente para a estreia de Watchmen, hoje às 22 horas, na HBO. Fiquem ligados para mais novidades sobre esta e outras séries, a qualquer momento, aqui no GamePlay RJ.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários