SUSPEITO DE SWATTING ENVOLVENDO CALL OF DUTY É ACUSADO POR MORTE INVOLUNTÁRIA

Tyler Barriss ligou para a polícia e situação terminou com a morte de uma pessoa nos EUA.

A polícia dos Estados Unidos acusou, nessa sexta-feira (12), o norte-americano Tyler Barriss pela morte involuntária de Andrew Finch depois do caso de swatting no final de 2017. A situação aconteceu depois de uma discussão durante uma partida da Call of Duty: WWII e uma ligação falsa que levou os policiais na porta da vítima, que acabou levando um tiro e morreu na ocasião.

Confira a matéria que originou o caso: Polícia prende suspeito de Swatting ligado a Call of Duty

Segundo a polícia, ele foi sentenciado por morte involuntária e mais duas outras penalidades pelo ato, enfrentando assim uma pesada multa e anos na cadeia. No estado de Kansas, onde o caso aconteceu, essa situação é possível quando alguém leva a morte de outra pessoa pelo resultado de um comportamento imprudente.

Swatting é o termo utilizado quando uma ligação anônima denuncia uma situação criminosa e leva os políciais ou até mesmo a SWAT, a polícia especial dos Estados Unidos, a invadir a casa de alguém. Na comunidade gamer, já houveram casos em que a situação ocorreu inclusive durante transmissões ao vivo.

 

Fonte Theenemy

Astronauta por vocação, Streamer, YouTuber, Gamer e Nerd em tempo integral. Ricardo, conhecido como TioZero, sempre foi apaixonado por Star Wars, séries, games e tecnologia. Também adora compartilhar no GameplayRJ seus achados e curiosidades sobre o mundo dos games.

Comentários

comentários