Assistimos | Venom

Confira nossa análise completa sobre o primeiro filme solo do vilão

E chegou a hora de conferir Venom nos cinemas. Na história, o repórter investigativo Eddie Brock (Tom Hardy) vive uma vida mediana com sua namorada Anne (Michelle Williams). Sucesso no passado, hoje Eddie vive de freelances e busca reportagens instigantes a fim de recuperar sua fama. Eis que ele acaba investigando a Fundação Vida, encabeçada por Carlton Drake (Riz Ahmed), uma corporação que faz pesquisas sem cumprir a ética e envolta em escandalos encobertos. Nessa investigação ele acaba se encontrando com o alienígena simbionte Venom e inicia-se uma perseguição da Fundação o que acaba colocando a vida do repórter em perigo. E  infelizmente já começo dizendo que o primeiro longa de um dos vilões (ou anti-herói) favoritos dos fãs de Homem Aranha deixou a desejar. Seguindo a cartilha típica de Hollywood, falta aquela paixão que a Marvel (e que a DC parece estar iniciando com Aquaman e Shazam) tem investido em seus filmes. Os efeitos especiais também não colaboram em certos momentos. Utilizando o artífício típico de filmar a noite, a interação entre Venom e Eddie ainda parece muito artificial.

Também não faz sentido a questão da absorção do simbionte pelo corpo e depois a separação completa entre os dois que é constante no filme. Outro ponto falho no filme é o tom. O cara está na pior, é tomado por um monstro alienígena e mesmo assim sobra tempo para fazer piadas…Lamentável, já que um dos pontos mais legais do vilão é o contraste entre o seu tom sombrio tanto do visual, quanto do personagem em relação ao Homem Aranha. Também é forçada a transição entre o choque inicial de se ligar a um monstro e a aceitação. Aliás de ambas as partes, já que o simbionte mal chegou aqui e já fica bem a vontade convivendo entre nós e querendo proteger-nos. Coisas de Hollywood. Tom Hardy está ok no papel, mas bem inferior a seus ótimos papéis como Bane e Max, outros grandes ícones da cultura pop. Finalmente, em relação a adaptação dos quadrinhos houve divulgação do filme ser inspirado no arco “Protetor Letal”, onde Venom deve caçar cinco outros simbiontes criados por ele. Claro, que adaptações são necessárias, mas bem aquém da história original, onde ele é realmente um anti-herói. Além de influências de Planeta dos Simbiontes que é praticamente inexistente na minha opinião. E é isso. Com todos seus defeitos Venom talvez agrade aqueles que esperavam somente um filme de ação padrão que se encontra frequentemente nas salas de cinema. E vale citar que Venom tem duas cenas pós créditos seguindo o padrão dos filmes recentes. Agradecemos a Sony Pictures para o convite para a pré estréia.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários