Assistimos | Godzilla 2:Rei dos Monstros

Confira nossa análise completa do longa da Warner Bros Pictures

E chegou a hora de conferir Godzilla 2: O Rei dos Monstros nos cinemas. Infelizmente a esperada sequência que faz parte do “Monstroverso” da Warner Bros Pictures  e Legendary Pictures deixa a desejar em diversos aspectos. Mas vamos a sinopse oficial:

“Na sequência do sucesso mundial de “Godzilla” e “Kong: A Ilha da Caveira”, chega o próximo capítulo do MonsterVerse da Warner Bros. Pictures e da Legendary Pictures para os cinemas: Godzilla II: Rei dos Monstros, uma aventura de ação épica que coloca Godzilla contra alguns dos monstros mais conhecidos da história da cultura popular. A história inédita acompanha os esforços heroicos da agência cripto-zoológica Monarch à medida que seus membros enfrentam uma sequência de monstros gigantescos, incluindo o poderoso Godzilla, que luta contra Mothra, Rodan e seu arqui-inimigo de três cabeças, King Ghidorah. Quando estas criaturas milenares – que se acreditava serem mitos – ressurgem, elas lutam pela supremacia, colocando em risco a existência da humanidade.”

Após os trailers incríveis eram esperadas grandes batalhas entre os iconicos kaiju da mitologia de Godzilla. No entanto,o filme demora quase 1 hora para vermos o primeiro embate. Aliás, se computarmos o tempo total das batalhas estas não somam 1 hora do filme. E o que resta? Roteiro fraco, bons atores desperdiçando sua atuação e situações repletas de clichê e absurdas. Dessa vez, pode-se apontar um grande culpado: Michael Dougherty, diretor e roteirista. Era de esperar, já que ele foi roteirista do horrível Superman: O Retorno e X-Men Apocalipse, entre outros. Mas é torturante ver um ótimo ator como Ken Watannabe (Inception, Cartas de Iwo Jima) ser limitado a dizer Gojira todas as vezes que aparece. Também é lamentável a participação de Millie Bobby Brown participando de um dos seus primeiros grandes filmes, mas que acaba sendo a “criança-metida-a-esperta-que-se-mete-em-situações-perigosas” o filme todo. E por aí vai. Para quem é fã do personagem acaba se divertindo com momentos de saudosismo ao ver todos vários inimigos clássicos de Godzilla juntos, a música tema em momentos “altos” do filme e a promessa do confronto com King Kong em um filme vindouro. As batalhas entre os monstros funciona em um CG competente, mas que recorre a uma palheta escurao o tempo todo para não vermos os defeitos. Enfim. Acho que já deu para nosso seguidor ter uma ideia do que o espera. No demais, fica a esperança que Godzilla vs King Kong (veja a primeira divulgação abaixo do post) seja um capítulo mais interessante neste universo que tem grande potencial, de ao menos nos divertir. Fiquem ligados para mais novidades sobre filmes a qualquer momento aqui no GamePlay RJ.

Químico, pai e professor no mundo real, Felipe, vulgo Nerd sempre foi apaixonado por quadrinhos,cinema e TV. Também adora escrever e discutir sobre os temas nas horas vagas, o que o trouxe a GameplayRJ, sua morada na internet.

Comentários

comentários